Botão ‘teimosia’: ativar!

d3fd1308e97eb75e8a1ebdb8f598111d

Você acha que com o passar dos anos e algumas experiências mal sucedidas colecionadas você vai ficar mais sábio, mais esperto e mais tolerante a certas situações, até que você se depara com aquele momento em que sente a deixa para fugir mas, ainda assim, você insiste em ficar? Parabéns pela teimosia!

Pessoas assim tem um botãozinho vermelho, que deve ficar em algum lugar do cérebro, mas quem controla mesmo é o coração. Em situações de risco, aquele botão “PERIGO” é ativado e você sabe muito bem o que deve fazer mas, alguns segundos depois, o botão “TEIMOSIA” também é ativado, fazendo você ficar naquele dilema interno, sem saber se segue o caminho da paz, flores e pássaros cantantes ou aquele, do lado, onde tudo é tão misterioso e você está morrendo de curiosidade para saber o que vai encontrar. E é claro que você opta pela segunda opção.

 Teimo em dizer que nós podemos ser considerados insistentes, muito mais do que teimosos. Insistimos em arriscar, em tentar, em insistir, mesmo desconfiando – pra não dizer tendo certeza – de como será o fim. Sim, nós lemos os avisos. Sim, nós sabemos que a estrada pode dar num precipício de metros de altura. Sim, sabemos que podemos cair e nos machucar. Mas a verdade é que cada estrada é diferente. Em cada viagem vemos paisagens diferentes, conhecemos culturas diferentes e, mesmo que voltemos sozinhos pra casa, aquela experiência vai ser válida.

Ignorar o botão “teimosia” é ignorar a oportunidade de sair da linha, de viver e até, quem sabe, se surpreender.  A certeza do seguro pode até ser tentadora, mas perder a chance de se jogar, se divertir, se amar, mesmo que tu quebre a cara depois? Não. Pessoas teimosas nunca irão aprender!