Decoração Barata? Ta Tendo!

Ainda não tenho minha casa e só Deus sabe como me sinto um pintor sem tinta, um fotógrafo sem câmera ou um professor sem aluno, tendo tanto gosto por decoração sem um lugar – e dinheiro – para decorar. Mas aí eu me realizo na casa dos outros, e esse mês dois amigos meus mudaram-se para apartamentos novos e me deixaram feliz igual pinto no lixo ao me procurarem para pedir dicas de decoração. Adorei a consideração e o (quase) livre arbítrio para botar a mão na massa e fazer algumas mudanças nesses novos ambientes.

Vamos combinar que não é porque uma casa é alugada que a gente tem que deixar ela exatamente como recebeu, sem poder colocar nem um pouquinho da sua cara lá, né? Assim nem vale a pena viver! Mas vamos combinar, também, que ninguém merece gastar e investir em um lugar que não é seu. Então como decorar, mudar e colocar um pouco de você nesse “seu” novo cantinho sem pesar muito no bolso? Resolvi dividir três dicas fortalecidas com fotos da minha pasta de inspirações para ajudar a quem quer que esteja na mesma situação que esses dois amigos queridos. Quem usar alguma dessas dicas (tendo visto aqui ou não), manda fotos do ambiente pra eu ver, ok?!

 

Dica nº 1 – Papel Contato Colorido

Colagem em parede 2 Colagem em parede 3 Colagem em parede

Se você não quer pintar as paredes, mas quer dar uma mudada, o papel contato pode ser uma ótima opção. Você pode brincar com formas geométricas e criar uma parede única, seja na sala, no quarto e até – por que não? – no banheiro. É baratinho, não faz sujeira e quando enjoar, é só tirar, que a parede vai estar intacta.

O segredo aqui é você ter uma mão boa, tanto para fazer os cortes, quando pra colar. Na hora de colar também tem uma dica boa, que é usar uma espátula pra ir tirando todo o ar enquanto você vai descolando o papel e colando na superfície. Aliás, melhor ainda é usar uma régua escolar, porque todo mundo tem uma casa mesmo, né? Pronto, ambiente novo e ainda sobra dinheiro pra ir tomar aquela breja no fim de semana.

Dica nº 2 – Duréx Colorido e/ou Washi Tapes

Adesivo + washi tape Geladeira Adesivada 1 Geladeira Adesivada 2

Seguindo o mesmo princípio da dica acima, é possível usar aquelas fitas coloridas escolares que custam menos de 2 dilmas pra dar uma cara totalmente nova àquela geladeira sem graça que foi herdada da mãe, sabe? Ou àquele móvel de escritório que ficou entulhada na garagem de alguém e você pensou “é, pode servir, apesar de feio”. Custando um pouquinho mais que 2 dilmas, tem as washi tapes, que nada mais são do que essas mesmas fitas adesivas escolares, só que com estampas liiiiindas. Joga “washi tape” no Pinterest e se delicie com o tanto de criatividade que o povo tem em usar essas fitas fofas.

Dica nº 3 – Caixotes de Madeira

Armário de Caixote de Madeira Caixote de madeira na decoração

Essa sugestão aqui já está mais velha do que a posição de cagar, mas não vou deixar de dá-la porque é linda e eu amo e um dia vou ter minha casa pra entulhar um monte de caixotes. Seja na cor da madeira ou pintados, soltos, sobrepostos, lado a lado, os caixotes de madeira ganham meu coração pela beleza e pela praticidade: dá pra ser criado mudo, rack pra TV, armário de cozinha, de banheiro e até um closet pro seu quarto. A única parte chata é que aqui em Caruaru você não encontra fácil, né? No meu caso, não encontra de jeito nenhum mas, verdade seja dita, eu não procurei muito. Dizem os blogs por aí que nas feiras de rua você encontra a 5 dilmas usado e 10 dilmas novo, mas se tratando da nossa cidade, já saibam que não vai ser bem assim. Mas pra não deixar vocês na vontade, achei um passo a passo bem facinho ensinando a fazer esses caixotes. E sabe aquela cama velha da casa da sua bisavó? Pega as madeiras de baixo do colchão e usa pra fazer as caixas! Olha só:

ca0b3a6650f52c45afca14aea1954201

Espero que vocês gostem das dicas, porque tenho várias outras pra dar. Assim como vou fotografar cada ambiente que eu for convidada a ajudar a mudar. #ficadica pra quem quiser dar uma mudada e não souber por onde começar, né? Me chama, que eu vou!

Botão ‘teimosia’: ativar!

d3fd1308e97eb75e8a1ebdb8f598111d

Você acha que com o passar dos anos e algumas experiências mal sucedidas colecionadas você vai ficar mais sábio, mais esperto e mais tolerante a certas situações, até que você se depara com aquele momento em que sente a deixa para fugir mas, ainda assim, você insiste em ficar? Parabéns pela teimosia!

Pessoas assim tem um botãozinho vermelho, que deve ficar em algum lugar do cérebro, mas quem controla mesmo é o coração. Em situações de risco, aquele botão “PERIGO” é ativado e você sabe muito bem o que deve fazer mas, alguns segundos depois, o botão “TEIMOSIA” também é ativado, fazendo você ficar naquele dilema interno, sem saber se segue o caminho da paz, flores e pássaros cantantes ou aquele, do lado, onde tudo é tão misterioso e você está morrendo de curiosidade para saber o que vai encontrar. E é claro que você opta pela segunda opção.

 Teimo em dizer que nós podemos ser considerados insistentes, muito mais do que teimosos. Insistimos em arriscar, em tentar, em insistir, mesmo desconfiando – pra não dizer tendo certeza – de como será o fim. Sim, nós lemos os avisos. Sim, nós sabemos que a estrada pode dar num precipício de metros de altura. Sim, sabemos que podemos cair e nos machucar. Mas a verdade é que cada estrada é diferente. Em cada viagem vemos paisagens diferentes, conhecemos culturas diferentes e, mesmo que voltemos sozinhos pra casa, aquela experiência vai ser válida.

Ignorar o botão “teimosia” é ignorar a oportunidade de sair da linha, de viver e até, quem sabe, se surpreender.  A certeza do seguro pode até ser tentadora, mas perder a chance de se jogar, se divertir, se amar, mesmo que tu quebre a cara depois? Não. Pessoas teimosas nunca irão aprender!