Às quartas postamos rosa – o glamour kitcsh do MaMa Kelly

O restaurante MaMa Kelly foi construído em 2017, nos arredores do Estádio Olímpico de Amsterdã e foi design do próprio co-proprietário, Rein Rambaldo, que se uniu à esposa Willemien e aos gestores Singha Witteman e  Bas Bloemink para lançar-se na empreitada gastronômica, inaugurando a primeira unidade do MaMa Kelly em 2010, em The Hague, a terceira maior cidade do país.

Apesar de ser um restaurante com apenas duas especialidades – frango e lagosta -, o MaMa Kelly tem um espaço de mil metros quadrados, conseguindo abrigar até 230 pessoas e o seu sucesso se deve, principalmente, ao seu design inundado pelo cor-de-rosa. A escolha pela cor foi por causa de Willemien, esposa de Rambaldo, que tem preferência pelo tom e notou que as mulheres são quem tomam decisões, inclusive em restaurantes.

Com  Design de Interiores caprichado, o espaço é glamouroso e elegante, mesmo com a ousadia em usar e abusar do pink, que vai desde o mobiliário e tecidos, até paredes e teto. Os detalhes em dourado dão um ar mais elegante, ao mesmo tempo que a iluminação e a presença de plantas e do piso de madeira clara, dão uma sensação de conforto.

Para quem curte um lugar totalmente instagramável, o MaMa Kelly é parada obrigatória em Amsterdã. Inclusive, adoraria ver um restaurante desses por aqui… Vocês conhecem algo do tipo?!

Decoração em série – Once Upon a Time

Once Upon a Time é uma série americana de drama e fantasia criada por Adam Horowitz e Edward Kitsis e  conta com 7 temporadas ao total , tendo início em 23 de outubro de 2011 e fim em 18 de maio de 2018, pela emissora ABC. No Brasil, a série foi transmitida pelo Canal Sony e atualmente você já encontra todas as temporadas disponíveis no serviço de streaming da Netflix.

Em Once Upon a Time há novas narrativas para personagens de contos de fadas que já conhecemos de cabo a rabo, uma vez que esses personagens estão vivendo na cidade de Storybrooke, no Maine, nos tempos atuais. Eles foram trazidos para o mundo real através de uma maldição e tiveram suas memórias originais roubadas, até que a personagem da Emma Swan – tida como a Salvadora – entra no enredo para mudar tudo. Ao longo dos episódios, nos deparamos com várias cenas antes inimagináveis, como a Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho e Cinderela todas juntas bebendo numa mesa de um bar, ou o Capitão Gancho aparecendo todo lindo e charmoso.

A série tem como história principal a da Branca de Neve e Príncipe Encantado, tendo como uma das vilãs, a Rainha Má, que quer a todo custo acabar com a felicidade do casal encantado. É obra dela a maldição que faz todos virem ao mundo real e tomarem novas personalidades e novos nomes, e é aí que entra o nosso cenário da vez!

Em Storybrooke, a Branca de Neve se chama Mary Margaret e ela a professora da única escola infantil que tem na cidade. Apesar de, no início, não se lembrar do seu passado na Floresta Encantada, a Branca de Neve Mary Margaret mantém sua personalidade doce e romântica, que reflete tanto no seu jeito de se vestir, como em sua casa. O loft de 2 andares ocupado apenas pela personagem no início, acaba se tornando um ambiente familiar dividido por 4 pessoas. Com uma pegada industrial como nas paredes com o tijolo totalmente aparente, o espaço ganha um toque romântico na decoração, com tecidos, móveis vintage e clarinhos e flores por todo canto.

A sala cozinha e o quarto do andar de baixo são todos integrados, sem paredes divisórias. Sou apaixonada pela parede do lado da porta, porque tem essas palavras pintadas na parede de tijolo aparente na cor natural, que dá uma pegada mais industrial em comparação com o restante do ambiente, que é mais romântico. A cozinha tipo americana conta com uma ilha com banquetas e estantes de madeira cheia de acessórios culinários fofinhos. Pela sala é possível ver móveis antiguinhos por todos os cantos: estantes, cadeiras, até mesmo acessórios com essa pegada mais vintage. O quarto de baixo é separado apenas por cortinas e a escada leva até o quarto de cima e o banheiro. 

Eu ficava babando sempre que via esse cenário, é uma das decorações de série que mais curto pois sou muito fã desse tipo de edificação americana, onde galpões viram apartamentos (vem daí o conceito de loft/estúdio) e paredes, vigas e peças estruturais ficam à mostra, se integrando ao restante da ambientação. Vocês curtem também, ou acham que fica com cara de bagunçado? Contem aí nos comentários.