Decoração boho: como usar na vida real

O boho (derivado da expressão inglesa bohemian) é uma expressão que remete aos boêmios e/ou ciganos, que são a maior influência desse estilo. De tal modo, a decoração boho faz uma abordagem contemporânea a esse estilo, que muitas vezes, também, é associado ao visual hippie da década de 70. Esse estilo consiste numa mistura de elementos, desde cores, tecidos, texturas, design afetivo e, é claro, muita sensação de conforto.

Assim como na moda, o estilo boho na decoração é um estilo que vai além do estético. Os adeptos dessa tendência, geralmente, são pessoas que naturalmente levam um estilo de vida mais calmo, que gostam de um ambiente confortável e aconchegante, que dão valor a peças e plantas naturais, entre outros elementos comumente vistos nas ambientações boho.

Trouxe, nesse post, algumas inspirações para falar sobre alguns elementos principais desse estilo, que podem, inclusive, serem misturados com outras tendências  se for o caso de você não querer o ambiente inteiro com esse ar de “boêmio”.

1 – Tecidos e texturas

O algodão (cru ou tingido), o couro, o veludo, e a corda são elementos muito comuns nesse estilo, justamente por remeter ao cigano e ao hippie, como citado lá em cima. São itens fáceis de se encontrar em feiras de artesanato por todo mundo, e vão carregar um significado ainda maior se vier de alguma viagem especial que você fizer. Outro elemento que anda sendo super usado e procurado, são as peças feitas de macramê, que é uma técnica que utiliza apenas nós e tranças para tecer itens usando cordão de algodão e outros tecidos.

2 – Plantas naturais

As plantas já foram tema de post aqui no blog, pois além de provocar uma estética belíssima, ainda traz vários benefícios à saúde. Impossível ver um ambiente na tendência boho que não contenha, pelo menos, um vasinho de planta. Você pode, sim, usar a planta fake, mas acho que foge um pouco à proposta do aconchego e do natural. Fora que existem plantas para todo tipo de ambiente (e de cuidador), de modo que mesmo que você more em apartamento ou não seja uma pessoa muito familiarizada com elas, conseguirá mantê-las vivas e lindas. E para arrematar mais ainda o estilo boho, você pode utilizar cachepots de corda, tricô, macramê e outros elementos naturais.

3 – Almofadas e tapeçarias

Ainda dentro da ideia do conforto, as almofadas e tapetes ajudam a deixar o ambiente mais quente e aconchegante. É muito comum ver ambientes com almofadas espalhadas no chão, criando um ar mais despojado. Em casos de ambientes que não são esfriam muito, você pode apostar em mais estampas e diminuir a quantidade de tecidos quentes (uma vez que a temperatura do ambiente já se encarrega disso – como é o caso do Brasil né), lembrando que não há regra em relação a combinar as estampas, hein? A paleta de cores boho costuma utilizar muitos tons terrosos e cores quentes como o vermelho e o laranja, mas você pode fazer sua própria cartela de cores.

4 – Móveis

Fazendo uma leve alusão ao rústico, a madeira é muito presente na decoração boho, especialmente se for a madeira natural, com suas veias à mostra ou até mesmo galhos secos de árvore. Também é muito comum ver peças de vime, corda e palha. No quarto, as camas são sempre baixinhas, trazendo uma suavidade ao ambiente. Outra coisa que está muito em alta, são os balanços ou até redes no meio da sala e quarto.

Como usar o grafite em ambientes residenciais

O conceito urbano tem sido cada vez mais procurado por um público jovem por atender às suas necessidades através da combinação entre design moderno e representação da cultura de rua. Nesse estilo, tudo o que representar a street art poderá se transformar em elemento chave para se trazer para dentro de ambientes, como o grafite, lambe-lambe, placas de trânsito, pôsteres e outros objetos de rua. Madeira, tijolo aparente, cimento queimado, acrílico e vidro são alguns itens que podem ser combinados a esse estilo, misturados entre tons neutros e alguns pontos de cores fortes.

Esse estilo pode ser completamente atemporal, desde que faça parte do entorno do usuário. Afinal, tudo que buscamos usar buscando atender somente ao desejo de estar por dentro de alguma tendência, acaba transpassando que aquilo não faz parte da nossa personalidade; e a possibilidade de enjoarmos rápido é grande. Porém, se é algo que te agrada, independente de “estar na moda”, as chances de acerto são maiores.

Esse post veio pra mostrar que o grafite está cada vez mais presente em ambientes residenciais de uma maneira sofisticada e cheia de personalidade, sem que fique parecendo que você está lá no “Beco do Batman“. Seja na cozinha, na sala ou até mesmo no quarto do(a) filho(a), esse importante elemento da arte de rua fica lindo dentro de casa. Ta duvidando? Então dá uma olhadinha…